Elenco e planejamento no Galo

Thalita Ezequiel

O final do ano é sempre uma época interessante para os clubes de futebol. Uma avalanche de especulações nos atinge, tanto em relação à chegada, quanto à saída de jogadores. Há quem goste e quem odeie. Eu, particularmente, sou fã desse período, pois acho que sou dirigente e simulo meu plantel para a temporada seguinte. E, seguindo essa linha, comecei o meu planejamento para 2018! Para sistematizar melhor, vamos por posições, com a lista de jogadores no elenco atual.

Goleiros: estamos bem servidos na posição. Victor, titular incontestável, permanece defendendo a meta alvinegra. Na reserva, temos Giovanni, Uilson e Cleiton. O primeiro costuma corresponder quando é exigido, mas me pergunto se não era a hora de deixá-lo seguir seu caminho, economizando na folha de pagamento e investindo na formação dos arqueiros da base. Uilson sofreu lesão grave no joelho e deve ficar um tempo fora, mas Cleiton aparece como uma boa revelação e poderia pegar experiência para, quem sabe, assumir a camisa 1 mais para frente.

Zagueiros: hoje, contamos com seis zagueiros no profissional. Leonardo Silva renovou por mais um ano, o último da sua carreira. Ele pode ser importante, principalmente nos bastidores, mas é possível que não consiga jogar toda a temporada. Gabriel é a maior possibilidade de fazer caixa na janela de transferências, já que é um dos mais jovens do time e mostra muito potencial, merecendo até elogios de Tite, técnico da seleção brasileira. Acredito e torço para que Erazo não permaneça no elenco, enquanto o futuro de Felipe Santana é incerto. Bremer e Matheus Mancini estão se firmando e imagino que devem ter mais oportunidades em 2018. Outros zagueiros que participaram do profissional em algumas ocasiões são Jesiel, emprestado ao Mirassol para o próximo Campeonato Paulista, e Rodrigão, que também deveria rodar para ganhar experiência. Portanto, essa é uma posição que carece de dois reforços, sendo que um deve ser titular absoluto. As especulações no setor giram em torno de Pablo, do Corinthians, e Marllon, da Ponte Preta, dois nomes que podem acrescentar muito ao elenco.

Laterais: na lateral direita, Marcos Rocha, titular absoluto, sempre na lista de melhores laterais do Brasil, pode estar de saída. Essa seria uma perda impactante, principalmente em uma posição difícil de repor em alto nível. Acredito que sua saída esteja ligada à possível chegada de Varella, jogador de 24 anos do Peñarol, que já esteve no Manchester United, mas não teve sucesso na Europa. Para a reserva, temos Carlos César e Alex Silva. Ambos são jogadores medianos, que não substituem o titular à altura, mas que também não costumam comprometer tanto. Penso que podem ser mantidos no elenco. Já na lateral esquerda, o dono da posição continua sendo Fábio Santos, o mais regular da temporada 2017. Para a reserva, fica a dúvida. Mansur, premiado com um contrato de cinco anos na sua chegada em 2015, começou a treinar com os profissionais, mesmo sem ter mostrado a menor qualidade no seu tempo de clube. Não sou a favor do seu aproveitamento, pois acho que tira espaço dos jogadores da base. Leonan e César, um dos destaques do sub-20, poderiam compor o elenco na posição, ou, no caso da manutenção de Mansur, valeria emprestar alguns dos jovens para ganhar experiência.

Volantes: os disponíveis atualmente na posição são Yago, Adilson, Roger Bernardo, Elias e Gustavo Blanco. Lucas Cândido deve voltar ao grupo, após se recuperar da terceira lesão séria na sua curta carreira. Ralph, que atuou em alguns jogos pelo profissional e pelo time B, poderia ser emprestado. Aqui, minha maior dúvida é sobre o aproveitamento de Elias, a decepção de 2017, na próxima temporada. O jogador tem qualidade técnica e uma chegada poderosa ao ataque, mas apresenta dificuldades na recomposição da defesa, o que me faz questionar se sua posição atual é volante ou meia. No entanto, como meia, também não foi eficaz na cobertura da lateral, função que hoje é essencial na montagem defensiva. Tendo a pensar que sua saída seria benéfica para o time, economizando na folha de pagamento e conseguindo uma proteção da zaga mais consistente. Mas, para isso, é necessária a chegada de um volante muito bom para substituí-lo. Outro que pode sair é Adilson, com problemas familiares e possível desejo de voltar ao sul do Brasil. Também acho que Roger Bernardo, jogador lento e com salário alto, poderia encontrar outros rumos. Tudo isso passa, claro, pela negociação de empréstimos ou rescisão de contrato amigável, já que todos têm contratos mais longos. Por outro lado, aposto muito em Gustavo Blanco e no crescimento de Yago em 2018. Entre as especulações, Arouca já está acertado com o clube, com um contrato de risco, Rithely, um dos destaques do Sport, pode chegar, e um volante que atua no exterior, mas que ainda não teve o nome revelado, pode fechar o setor. Temos ainda Cícero, um dos destaques na base, que, na minha opinião, já deveria começar a ganhar oportunidades.

Meias: não há dúvidas de que Marlone deve sumir do Galo e de que Valdívia, com contrato até o fim do Campeonato Mineiro, não pode estar no planejamento da temporada de 2018. Sobram, portanto, Cazares e Otero, somente. Cazares é alvo de muitas especulações. O equatoriano não rendeu o esperado nesse ano e ainda tem dificuldades de andar na linha na sua vida particular. Porém, não sou a favor da sua saída, dado o potencial que o jogador tem e os números que, mesmo em temporada irregular, são expressivos. Otero também está sendo assediado por outras equipes, mas deve permanecer, principalmente pelo que fez no final do ano. Já o critiquei diversas vezes, principalmente pela sua dificuldade de dar prosseguimento às jogadas, mas ele está crescendo e, com confiança, deve ser importante em 2018. Na base, Marquinhos, se recuperando de fratura no pé, e Marco Túlio são os destaques e poderiam subir. Esse setor ainda não foi alvo de nenhuma especulação mais concreta e, pelo número reduzido de jogadores disponíveis, precisa muito de reforços. Meu desejo era que Tardelli, que hoje atua mais como meia na China, voltasse e comandasse o meio-campo do Galo.

Atacantes: entre os jogadores da posição, Rafael Moura deve sair, Capixaba será emprestado e Clayton ainda demora a retornar de lesão. Robinho, em meio à polêmica envolvendo uma condenação por estupro na Itália e tendo recusado a primeira oferta do Galo, é dúvida para a próxima temporada. Eu não sou a favor da renovação, tanto pela questão judicial, quanto pelas limitações que ele impõe ao esquema de jogo do time. Apesar da qualidade técnica incontestável, o jogador é lento e não consegue recompor defensivamente. Assim, um meia é sacrificado na marcação e a armação de jogadas fica prejudicada. Se ele não ficar, temos disponíveis apenas Fred e Luan. Especula-se que Roger Guedes, do Palmeiras, e Copete, do Santos, possam chegar. Acho que o primeiro pode ser muito útil, com velocidade pelas pontas e disposição para marcar o lateral adversário. Já Copete não rendeu o esperado no Santos e pode não ser tão interessante. Ainda teremos o retorno de Carlos, do Internacional, que precisa ser utilizado como atacante de área para avaliarmos se o potencial que mostrou na base ainda pode virar realidade, e de Hyuri, que estava na China e tem a confiança de Oswaldo de Oliveira.

No final das contas, o elenco, com alguns pitacos pessoais e considerando as especulações que saem na imprensa, seria:

Goleiros: Vitor, Cleiton e Uilson

Zagueiros: Leonardo Silva, Gabriel (ou Felipe Santana), Bremer, Matheus Mancini, Pablo e Marllon

Laterais: Marcos Rocha (ou Varella), Carlos César, Alex Silva, Fábio Santos, Leonan e César

Volantes: Gustavo Blanco, Yago, Lucas Cândido, Cícero, Arouca, Rithely e contratação

Meias: Cazares, Otero, Marquinhos, Marco Túlio, Tardelli e contratação

Atacantes: Fred, Luan, Carlos, Hyuri, Roger Guedes e contratação

Saídas: Giovanni, Erazo, Felipe Santana, Gabriel (?), Marcos Rocha (?), Mansur, Adilson, Roger Bernardo, Elias, Marlone, Valdívia, Rafael Moura e Robinho

Empréstimo: Jesiel, Rodrigão, Ralph, Capixaba

Chegadas: Pablo, Marlon, Varella (?), Arouca, Rithely, contratação, Tardelli, contratação, Roger Guedes, contratação

Retorno de empréstimo: Carlos e Hyuri