Dança mais

Thalita Ezequiel

Ganhar é muito bom. Ganhar o clássico é sensacional. Ganhar o clássico em um momento difícil como esse é para lavar a alma. E o Galo, comandado por Robinho, lavou a alma do atleticano, que não aguenta mais esse ano maldito. Não podia ser melhor – de virada, após dancinha do adversário e com direito a golpe na bandeirinha de escanteio do rival na comemoração.

A escalação do Galo para a 30ª rodada do Brasileirão tinha duas modificações: o retorno de Leo Silva na zaga (amém) e a entrada de Otero no lugar de Cazares. O primeiro tempo foi aquela água de chuchu. Os dois times não queriam se arriscar no ataque e o Cruzeiro, que já está acostumado a jogar assim, naquele estilo sem graça de Mano Menezes, levou vantagem. Dessa forma, conseguiu fazer o gol com Thiago Neves e foi o responsável por quase todas as chances de perigo.

O segundo tempo foi outro jogo. O Galo começou a achar espaços após dar a bola para o adversário. Otero, muito mal na partida, marcou um gol de cabeça (sim, de cabeça) e conseguiu o empate. Oswaldo de Oliveira fez modificações que deram certo, com a entrada de Yago, dando mais dinâmica ao meio-campo, Cazares e Clayton. Cazares jogou onde ele gosta e rende mais, pelo meio, com liberdade para armar as jogadas. Já Clayton entrou pela direita e fez seu papel tático muito bem, ajudando Marcos Rocha na marcação do lado mais forte do rival.

Mas foi o menino Robson que chamou a responsabilidade e decidiu o clássico, fazendo dois belos gols e fechando a tampa do caixão. Como é bom ver Robinho voltar a jogar bem, na sua posição correta. Também vale uma menção honrosa para os laterais Marcos Rocha, sempre representando o torcedor dentro do campo nos clássicos, e Fábio Santos, que encarnou o espírito atleticano e apresenta uma consistência incrível.

O Galo e a torcida vão com ânimo renovado para essa reta final do campeonato. Somando 41 pontos, o medo do rebaixamento fica mais distante. O próximo jogo contra o Botafogo pode ser crucial para definir as pretensões do time, já que o time carioca está três pontos na nossa frente e luta diretamente por uma vaga na Libertadores. Vamos com um passo de cada vez que já já esse ano termina.

 

Foto: Bruno Cantini / Atlético