No futebol, empate. Nos bastidores, goleada!

Thalita Ezequiel

Mais um ponto entrou na conta do Galo nesse Brasileirão. Jogando contra o Avaí, no sul, onde as partidas são quase sempre complicadas para nós, seja pelo adversário, seja pelo juiz, conseguimos um empate suado. 

O jogo teve o perfil que já era imaginado previamente. O Avaí veio fechado, apostando no contra-ataque, como vem fazendo com sucesso na sua recuperação nas últimas rodadas. O Galo tinha a posse de bola, tentando jogadas alternativas aos cruzamentos na área, mas sem ameaçar tanto o goleiro Douglas. Em um domingo apagado, quase nulo, de Cazares e Luan, ainda precisando substituir Valdívia já no primeiro tempo por contusão, o time se mostrou pouco inspirado na criação.

Se ainda considerarmos que Elias fez um jogo muito ruim, culminando em sua expulsão no final da partida, e que Adílson também esteve abaixo do que pode render, saímos no lucro. E para quem achava estranho ganhar algum jogo com golaço de Otero de falta no finalzinho, como foi contra a Ponte Preta, o que falar de um gol de cabeça do mini-venezuelano na rabeira do segundo tempo? Expliquem essa, ateus!

Aos poucos nos aproximamos dos 45 pontos necessários para escapar da degola, mas nada de chegar no famigerado G6. A sequência que vem pela frente é fundamental para a definição do nosso destino no campeonato. Seguimos sedentos por uma sequência de vitórias que nos dê um pouco de conforto.

Arena MRV

Hoje, os conselheiros do Galo votaram pela aprovação do modelo de negócios para a construção do nosso estádio. Com apenas onze votos contra, demos o primeiro passo na caminhada. O próximo é a votação na câmara dos vereadores. A possibilidade de ter uma casa com a nossa cara é emocionante. Espero que a promessa dos dirigentes do clube realmente se concretize e que possamos ter o retorno do povão ao estádio através de preços acessíveis. O Galo é da massa!

 

Foto: site http://www.atletico.com.br