Ligo muito sim!

Thalita Ezequiel

Não ligando, mas ligando sim senhor, chegamos à final da Primeira Liga. Vencemos o Paraná no sábado e, quando achávamos que a decisão tomaria contornos de final do mundial, o rival tremeu antes da hora. O Galo joga a final contra o Londrina, fora de casa, em outubro. Enquanto isso, volta as atenções novamente para o Brasileirão, no qual enfrenta o Palmeiras no próximo fim de semana.

O jogo contra o Paraná mostrou que o time está evoluindo progressivamente. Sabemos que o adversário tem suas limitações e que o Galo, ao contrário dos outros times da série A, usou praticamente todos os titulares. Mas, ainda que a Primeira Liga tenha sido menosprezada por quase todo mundo, teve pelo menos duas utilidades para nós. Primeiramente, não deixou o torcedor entrar em abstinência. Se uma semana sem Galo já é muito, imagina metade do mês! Além disso, permitiu que Micale testasse algumas mudanças e desse confiança para jogadores importantes, contra times teoricamente mais vulneráveis.

As alterações no time titular dos últimos jogos foram as entradas de Robinho e Fred, no ataque. Com a convocação de Cazares para a seleção equatoriana, Valdívia foi deslocado para o meio e Robinho ficou na esquerda. Inclusive, na coletiva após o jogo, Micale confirmou que, em sua visão, Robinho é substituto de Cazares, creio que pelo baixo poder de marcação dos dois jogadores. O menino Robson jogou melhor do que nas últimas partidas, ainda sem aquela qualidade demonstrada no ano passado. Fred, por sua vez, perdeu dois gols que não costuma errar. Ainda assim, com 23 gols no ano, é titular no meu time ideal. Não podemos ignorar sua artilharia nas últimas edições do campeonato e seu faro de gol desde que apareceu para o futebol. Sem contar que tem muito mais qualidade técnica que He-Man.

O gol saiu em jogada de Luan pela direita, com cruzamento para a entrada da área e conclusão perfeita de Elias. Como é bom ver Luan tendo sequência novamente. Sua importância tanto para a recomposição defensiva quanto na construção de jogadas se traduz na mudança de característica do time e em vitórias. Micale está tendo o privilégio de ter o jogador à disposição desde a sua chegada, o que seus antecessores não tiveram. Elias é outro jogador que subiu de produção com o esquema de dois volantes e a volta das jogadas pelo chão, marcando gols importantes novamente. Antes e após o gol, o Galo perdeu várias oportunidades. Se por um lado isso é bom, pois mostra que voltou a criar chances, por outros é ruim, já que obrigou São Victor a fazer mais um milagre quase no fim da partida.

Agora vamos à final contra o Londrina. A vitória pode ser importante para retomar a confiança do elenco. Quem sabe, de quebra, em alguns anos, ainda mandamos um fax para a CBF e pedimos equivalência do título com outro mais importante. Brincadeiras à parte, mudamos o foco para o Campeonato Brasileiro e torcemos por mais uma vitória. Além da importância dos três pontos, o jogo pode ajudar a desequilibrar mais o Palmeiras e talvez contribuir para a queda de Cuca, que espero ver no comando do Galo no próximo ano.

 

Foto: Bruno Cantini / Atlético