Vitória do alívio

Thalita Ezequiel 

A pressão sofrida pelo Galo nas últimas semanas foi enorme. A tal obrigação derrubava o time jogo após jogo, competição após competição. O cenário para a abertura do returno era esse: distância de poucos pontos da zona de rebaixamento e uma dificuldade sem precedentes de colocar a bola no fundo do gol. No entanto, sabemos que é nas horas ruins que os gigantes crescem. E o Galo cresceu, contra o Flamengo e em seus domínios.

O time escalado era o mesmo de quarta-feira, com a alteração de Fred, machucado, por Rafael Moura. A equipe de Micale encontrou um adversário cada vez mais raro no futebol brasileiro. O Flamengo, ao contrário dos últimos times que o Galo enfrentou, se arrisca no ataque e deixa espaços na defesa. Foi nesses espaços que Luan infiltrou na área e sofreu pênalti. Como atleticanos calejados, sabemos que isso não é garantia de nada. Ainda mais com um conhecido pegador de pênaltis do outro lado. Mas, se Diego Alves já defendeu cobranças de Cristiano Ronaldo e Messi, ele não pode dizer o mesmo de Fábio Santos. Gol e alívio!

O juiz bem que tentou ajudar o time da mídia, com a marcação de um lance que eu não lembro de ter visto no futebol brasileiro, por atraso na reposição de bola do Victor, cartões amarelos até para os pais dos jogadores do Galo, por entrarem em campo na hora da execução do hino nacional, e apitando faltas a favor do rubro-negro até quando as mesmas eram apenas mentalizadas. Mas não deu. O flamengo fez um péssimo jogo e o Galo soube se movimentar mais e fazer jogadas pelo chão, ao invés do festival de cruzamentos pelo alto.

No segundo tempo, assistimos a expulsão de Trauco e o gol de He-man, após lançamento excelente de Marcos Rocha e jogada consciente do incansável Luan. Ainda destaco a partida de Rafael Carioca que, desde a chegada de Micale, é o dono do meio campo. Vale também falar sobre as questionáveis substituições do nosso técnico, insistindo com o improdutivo Otero, além do esdrúxulo posicionamento de Cazares junto à lateral, deixando Adilson no meio armando.

Agora, enfim, chegamos ao tão desejado momento do campeonato em que Micale terá semanas cheias de trabalho. Já conseguimos ver alguns pontos de evolução no time, porém ainda há muito que melhorar. Fica o questionamento se o Galo será capaz de furar as retrancas montadas pelos adversários no Horto. Mas uma coisa é certa: essa vitória trouxe um alívio e muda o clima nos bastidores. Que isso seja suficiente para uma arrancada no Brasileirão e o alcance de pelo menos um objetivo nesse ano.

 

Foto: Bruno Cantini/Divulgação