Lucas Romero: um de nós em campo

Bárbara Ezequiel

O Mídia Day é uma iniciativa do Cruzeiro, pioneira no Brasil, que abre espaço para influenciadores digitais, todos torcedores que criam conteúdo independente sobre o dia a dia do clube, participarem de entrevistas com atletas, membros da comissão técnica e dirigentes. Tive a oportunidade de participar, a convite do Luiz Fernando Lécio (@Cruzeiro_News), para produzir um texto para o blog que ele mantém no ESPN FC, o Maior de Minas.

Quem bateu um papo com os influenciadores no sábado, 29 de julho, foi o argentino Lucas Romero, um dos atletas que mais admiro no atual elenco do Cruzeiro, que fez sua primeira partida em 20/02/2016, contra o Tricordiano, pela quarta rodada do Campeonato Mineiro. Ele já atuou em 62 jogos pelo clube, sendo 23 nessa temporada, com 2 gols.

Em um tempo em que os jogadores não se apegam aos clubes em que jogam e trocam qualquer camisa por uma bolada em dinheiro, Lucas Romero nos faz lembrar de jogadores à moda antiga.  Daqueles que dão o sangue pelo clube que defendem. E ele falou sobre isso. Segundo Romero, sua identificação com o Cruzeiro passa pela forma como foi recebido aqui, tanto pelo grupo, quanto pelos torcedores, chegando a dizer que vê a todos como uma família.

Logo quando chegou, ele já mostrou que tinha o tal sangue argentino correndo nas veias. Entrava em todas as divididas com raça, sempre acreditou em todas as jogadas. Talvez por ser muito novo, era até um pouco afobado e isso, somado ao fato de estar começando em um novo país, com o futebol em um ritmo diferente, tomava uma quantidade exagerada de cartões amarelos. Sobre isso, ele próprio reconheceu que precisou se ajustar ao estilo do futebol brasileiro, “de jogo mais técnico”, segundo ele, enquanto na Argentina é mais “pegado”. Esse entendimento de jogo acabou resultando em uma melhora do seu desempenho em campo.

Durante o período em que esteve na reserva, Romero trabalhou com humildade e sempre deu mostras de ser um jogador dedicado à equipe. Hoje, recuperou a titularidade e amadureceu. Tem jogado improvisado na lateral direita e ainda assim se mantém focado. Quando questionado sobre isso, Romero explica que a mudança colaborou para sua evolução tática, já que, atuando fora de sua posição de origem, é necessário manter maior foco e concentração. Ele ainda reforçou que vê essa alteração como algo positivo em sua carreira, pois tem a oportunidade de mostrar ao seu treinador que pode ser capaz de contribuir com a equipe no que for exigido.

Ao falar sobre a torcida, Romero reforçou que a equipe sempre recebeu apoio e foi cobrada quando necessário. Comentou, também, sobre a sensação de ter o Mineirão lotado, gritando seu nome, e fez questão de frisar que isso o deixa orgulhoso e motivado para seguir seu trabalho.

A respeito da pressão sofrida após derrotas, como na eliminação prematura da Copa Sul-Americana, o jogador se diz acostumado a isso, por entender a importância de jogar em um time grande. Romero destacou, ainda, que os jogadores sentem essas derrotas, se frustram com elas, mas o que prevalece nessas circunstâncias é o profissionalismo.

Por último, quando questionado sobre a fama do Cruzeiro de “La Bestia Negra”, o atleta contou que, na Argentina, todos que enfrentam a Raposa na Libertadores sabem que se trata de um adversário difícil, e que por ser um time grande é respeitado por todos, equiparado a times tradicionais do país como River Plate e Boca Juniors.

A ideia do Cruzeiro em fazer o Mídia Day me agradou desde o princípio. Enxerguei a iniciativa como uma oportunidade de aproximar o torcedor do clube. Em diversas situações ficamos sem entender exatamente o que está se passando nos bastidores, não temos respostas a questionamentos recorrentes, e isso gera desconfiança.

 Sempre recorri ao Twitter para saber informações sobre a rotina do clube, não tenho o hábito de buscar portais de notícias pra isso. Felizmente, as redes sociais se tornaram uma fonte bem vasta de informações, e temos muitos torcedores fazendo um ótimo trabalho. Basta saber filtrar.

A consolidação desse projeto em abrir espaço para influenciadores só comprovou que minha simpatia pela iniciativa não foi em vão. Os encontros têm sido bem livres, com oportunidade para discutir assuntos e questionamentos que todos nós compartilhamos. Pude comprovar que a ação é genuína e merece nosso apoio e reconhecimento.

Abaixo, alguns trechos de destaque do bate-papo com Lucas Romero:

Fama do clube em seu país: “O Cruzeiro na Argentina é visto como um time grande. Todo mundo respeita.”

Sobre a torcida gritando seu nome no estádio: “Pra mim, é muito importante. A gente sente orgulho… Isso mostra que estamos no caminho certo.”

Sobre jogar no Cruzeiro: “Eu estou muito feliz aqui. Sempre falo isso.”

Sobre o elenco: “A gente formou um grupo muito bom e, sempre que chega uma pessoa nova, seja brasileiro, ou estrangeiro, a gente tenta abraçar e fechar o grupo.”

Foto: Betto Jr/ Light Press/ Cruzeiro