Pagamos caro por um erro de estratégia

Bárbara Ezequiel

Ontem, quando o jogo acabou, eu vi que temos 11 pontos, fiquei bastante preocupada. Já se passaram nove rodadas, 27 pontos disputados e nós conquistamos ONZE. É assustador. Mais ainda, quando olhamos pro topo da tabela e vemos que a diferença pro líder é de 12 pontos.

Não vou falar aqui que estou sonhando com título, não estou. Mas vaga na Libertadores é obrigação. Obrigação sim! Cruzeiro não é qualquer time e após passar dois anos seguidos na parte de baixo da tabela, a torcida espera um rendimento digno da grandeza desse clube.

Sobre o jogo contra a Ponte, Cruzeiro desperdiçou uma chance de ouro, após o empate contra o Grêmio, de buscar os três pontos e enterrar as desconfianças da torcida com esse time. Que um ou outro jogador seriam poupados, já era esperado. Mas escalar o time inteiro reserva?

Ah…mas o desgaste… dirá o treinador. O calendário é apertado pra todo mundo. E convenhamos, o nosso está bem mais brando que dos times que jogam Libertadores e Sul-Americana. Mas foi por esse motivo, somado à sequência difícil que estar por vir, que tomou-se a decisão de jogar com time reserva, contra um adversário que não perde em casa há sei lá quantos jogos.

É muito fácil falar agora, mas sinceramente, a derrota ontem era esperada. Porque, por mais que a Ponte não seja o mais difícil dessa série de jogos, o titular deles, jogando em casa, é melhor que nosso reserva.

O Brasileiro é um campeonato longo, mas todos os jogos têm peso igual: 3 pontos. Qual o sentido em poupar o time inteiro ontem? Essa derrota estava no planejamento de metas? Porque foi uma oportunidade desperdiçada, que fará falta depois. Não tenho dúvida disso.

Faria todo sentido do mundo rodar os jogadores com maior risco de lesão, como Robinho e Sobis, que estão voltando agora, ou Diogo (que só pode estar cansado, porque nada mais justifica essa queda de rendimento). Por que então não fazer isso de forma gradativa, cautelosa?

Agora, vencer o Coritiba (que está em 5º lugar), em casa, pressionado, virou obrigação, do contrário, é crise. Então, que o Cruzeiro acorde logo, o Brasileiro já começou e nós estamos ficando pra trás.

 

Foto: Washington Alves/Divulgação